Notícias de T.I.

Videogame reduz sensibilidade à violência, diz estudo


polêmica sobre a influência dos games considerados violentos no comportamento dos jogadores é antiga. Mas agora, estudiosos da Universidade de Missouri afirmam ter conseguido provar que a violência dos games aumenta atitudes agressivas e reduz a sensibilidade.

O estudo foi feito com 70 jovens adultos, em três etapas. Na primeira, alguns participantes jogavam títulos violentos, incluindo “Call of Duty”, “Hitman”, “Killzone” e “Grand Theft Auto”, enquanto outros ficavam com os considerados “inofensivos”, durante 25 minutos. 

Depois, todos eram expostos a fotografias neutras e violentas para que os pesquisadores pudessem medir a resposta dos cérebros dessas pessoas. Na última fase, os participantes eram agrupados em pares, sendo que um dos membros poderia submeter o outro a uma carga de ruído.


O nível de barulho que cada integrante escolheu foi utilizado como medida para a agressão, como conta a GamePro. Como resultado, os estudiosos notaram que aqueles que jogaram games violentos submeteram seus pares a ruídos mais altos, o que foi interpretado como um aumento da agressividade.

Quanto às fotos, os cérebros das pessoas que nunca haviam jogado games violentos antes de jogá-los durante a experiência apresentaram uma resposta reduzida às imagens violentas. O mesmo ocorreu com jogadores acostumados a esse tipo de game, mesmo sem terem jogado no experimento. 

Com isso, os pesquisadores concluíram que os jogos violentos tornaram os participantes menos sensíveis. ”Mais do que qualquer outra mídia, os videogames encorajam a participação ativa na violência”, afirmou o professor Bruce Batholow, um dos autores do estudo. “Do ponto de vista psicológico, os jogos são ferramentas de ensino excelentes porque recompensam o jogador que tem certos comportamentos. Infelizmente, em muitos games populares, esse comportamento é a violência.”

A discussão sobre o tema, pelo visto, está longe de acabar. A suposta violência em games já gerou, por exemplo, proibições na Venezuela e foi motivo da criação de um Projeto de Lei aqui no Brasil.